Cientistas europeus testam navegador virtual para cegos

Uma das principais ajudas para a mobilidade das pessoas cegas continua a ser a cana. Mas podemos imaginar a utilidade de um dispositivo que consegue comunicar em tempo real a situação que rodeia a pessoa cega. A tecnologia transforma imagens em sons e vibrações.

Catalin perdeu a vista durante a infância. Hoje é professor numa escola para cegos e é um dos voluntários para testar um novo sistema de navegação que permite melhorar a mobilidade de quem não vê. A euronews acompanhou uma sessão de testes na Universidade de Bucareste, na Rom énia.

“O sistema inclui câmaras 3D que digitalizam de forma contínua o ambiente em torno da pessoa, vinte vezes por segundo. Essa informação é processada informaticamente graças a algoritmos e separamos cada objeto individual.

Cada objeto é apresentado ao utilizador através de sons 3D gerados por um computador. Basicamente, a pessoa ouve o objeto através das vibrações do cinto ao nível do abdómen”, explicou Alin Moldoveanu, professor da Universidade de Bucareste, na Roménia.

Aplicação para cegos permite identificar e ler sinais

O sistema está a ser desenvolvido por investigadores de vários países no âmbito do projeto europeu Sound of Vision. Os cientistas criaram também uma aplicação que lê sinais. “Quando o utilizador quer ler texto, carrega no botão e o sistema procura o texto e dá a indicação da localização do texto.

O utilizador vira-se para essa direção e ouve o texto : ‘farmácia, supermercado, estação de metro'”, referiu Alin Moldovanu, Professor da Universidade de Bucareste, Roménia. “Tenho muita esperança no futuro, quero que este sistema funcione bem”, confessou Catalin Nicolaid, voluntário para testar o navegador digital.

O sistema identifica os objetos mais importantes em cada situação, como escadas, portas, pessoas em movimento. Cada mudança é detetada de forma imediata. Os utilizadores podem personalizar algumas funções.

Visualização das duas câmaras internas do navegador

A pessoa cega é guiada em tempo real pelos sons 3D. A intensidade dos sons varia em função da distância dos objetos. “Os cegos só podem ver o que a cana toca, ou seja o que os rodeia, a uma distância de um metro e a uma altura de um metro. O protótipo de sound of Vision permite que vejam mais longe e mais alto”, frisou Rúnar Unnpórsson, coordenador do projecto europeu Sound of Vision.

A tecnologia de navegação para espaços exteriores está a ser desenvolvida na Universidade Técnica de Iasi. A navegação no exterior é mais exigente porque há mais mudanças repentinas, por exemplo, variações de luminosidade, passagem de veículos ou ocorrência de chuva.

“Para um uso no exterior, o sistema baseia-se em duas câmaras estéreo que observam o ambiente circundante ao mesmo tempo. Com base nas imagens estimamos a distâncias dos objetos e do meio ambiente. É importante sublinhar que uma falha da aplicação acarreta risco de vida.

Por isso, o sistema tem de ser capaz de assinalar todas as situações perigosas, como um buraco no chão, por exemplo”, disse Simona Caraiman, Professora de Engenharia Computacional na Universidade Técnica de Iasi.

Leave a Reply